Violência volta à mina onde 44 foram mortos

Menos de um mês após a morte de 44 trabalhadores sul-africanos pela polícia, a mina de Marikana, na região de Lonmin, perto de Johannesburgo, voltou ontem a ser palco de violência. Mineiros em greve atacaram colegas que retomaram a extração de platina e a polícia teve de intervir. Não há registro de feridos ou mortos. Quatro dias antes, cerimônias em várias cidades da África do Sul homenagearam as vítimas da tragédia na mina, o episódio mais violento no país desde o fim do apartheid.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.