Violento protesto no centro de Caracas

Integrantes da Polícia Metropolitana usaram gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar dezenas de manifestantes e policiais rebeldes que bloquearam, por algumas horas, as entradas da Prefeitura de Caracas. O incidente ocorreu quando um grupo de partidários do presidente Hugo Chávez e policiais dissidentes se concentraram em uma das portas da prefeitura, no centro da cidade, para impedir a saída de um grupo de dirigentes opositores e do prefeito Alfredo Peña."Este é um espetáculo proporcionado pelo governo, porque é o governo o chefe desses grupos", denunciou Peña, ao responsabilizar o presidente Chávez pela manifestação na Prefeitura. Peña, um dos mais ferrenhos opositores do governo, disse que processará o presidente Chávez por danos causados pelos simpatizantes do governo à sede da prefeitura.Para dispersar os manifestantes, a polícia teve de usar gás lacrimogêneo e balas de borracha.Dezenas de policiais e membros da Guarda Nacional ocuparam o centro da capital para restabelecer a ordem pública. Lojas da região fecharam suas portas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.