Xinhua/Ju Peng/Reuters
Xinhua/Ju Peng/Reuters

Visita à China e assembleia apontam anúncio de sucessor na Coreia do Norte

Especialistas dizem que Kim Jong-il deve anunciar próximo líder em breve

estadão.com.br

31 de agosto de 2010 | 09h11

LONDRES - A agência estatal de notícias da Coreia do Norte aumentou as especulações sobre a aproximação do anúncio do sucessor do líder norte-coreano Kim Jong-il ao confirmar a sua viagem à China na última semana, segundo informa nesta terça-feira, 31, o jornal britânico The Guardian.

 

A nota que confirmou a viagem de Kim fez várias referências ao possível novo líder norte-coreano - Kim Jong-un, filho caçula do atual líder. O anúncio de uma nova liderança pode ocorrer nos próximos dias, para quando está marcada uma assembleia do Partido dos Trabalhadores norte-coreano.

 

Esta é a primeira reunião do tipo em 30 anos. A última marcou o anúncio de Kim Jong-il como o novo líder norte-coreano e substituto seu pai, Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte. Ele, porém, só foi empossado com a morte do pai, em 1994.

 

"Com a convenção do partido, a Coreia do Norte quer mostrar ao seu povo a estabilidade econômica e política por meio da aliança com os chineses", Dise Kim Yon-hyun, especialista sobre a Coreia do Norte da Universidade de Dongguk, em Seul.

 

Shi Yinhong, professor de Relações Internacionais da Universidade Renmin, de Pequim, acrescenta que o propósito da assembleia é "aumentar a assistência diplomática e econômica da China para o processo de sucessão, que é mais urgente que antes". A China é o principal aliado de Pyongyang.

 

Segundo a KCNA, agência norte-coreana, Hu Jintao, presidente chinês, disse a Kim que ambos os países compartilham a necessidade de "avançar com a amizade e perpetuá-la com a próximas gerações". Em resposta, o norte-coreano disse que "é uma missão histórica passar para a próxima geração o bastão desta tradicional amizade".

 

A agência, porém, não mencionou Kim Jong-un, embora haja rumores de que ele tenha acompanhado o pai na viagem à China. No ano passado, surgiram boatos de que ele seria apontado como o sucessor de Kim Jong-il, que está com a saúde debilitada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.