Visita de blogueira vira palco para a oposição

Cenário: João Domingos

É JORNALISTA DA SUCURSAL DE BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2013 | 02h04

Partidos de oposição levaram ampla vantagem sobre o governo na obtenção de resultados políticos durante a passagem da blogueira cubana e colunista do Estado Yoani Sánchez pelo Congresso, ontem. Os grupos que gritam contra Yoani apareceram e ela deu sua opinião sobre tudo o que lhe perguntaram. Mas tiveram de aguentar a reação.

O PSDB, o DEM e o PPS mandaram ao Congresso militantes para abafar o ruído dos manifestantes pró-Cuba. Os anti-Yoani entoavam: "Yoani, eu já sabia, quem te financia é a CIA". Resposta: "Vendam seus smartphones e mudem para Cuba".

Yoani e a oposição tiraram proveito até de uma armadilha que o deputado Glauber Braga (PSB-RJ) tentou montar para a blogueira. Ele lhe fez quatro perguntas sobre o que achava do bloqueio econômico a Cuba, da prisão de segurança máxima da base americana instalada na Baía de Guantánamo, da prisão dos chamados "cinco heróis cubanos" pelos Estados Unidos e sobre quem é que financia o giro que ela está fazendo pelo mundo, começando pelo Brasil.

A blogueira respondeu calmamente, depois de agradecer Braga. "O embargo deve terminar já. Essa é minha posição de sempre. Porque provoca mal-estar na população e ainda serve de justificativa para o fracasso do governo, toda vez que é cobrado", disse ela, sob aplausos.

Quanto a Guantánamo, disse que é civilista, portanto é contrária à existência da prisão. A respeito dos "cinco heróis", afirmou que eles eram 12 - e pertenciam a uma rede de espionagem.

Sobre seus financiadores, Yoani disse que são blogueiros como ela, além da Anistia Internacional e de universidades europeias pelas quais deve passar na fase seguinte de sua viagem.

Ela disse ainda que hoje existe uma Cuba oficial, na qual o trabalhador recebe salário mensal de US$ 20 (cerca de R$ 40), e uma Cuba real.

Com esse salário, segundo a blogueira, todos os cubanos são obrigados a viver na ilegalidade, roubar o próprio governo, prostituir-se e receber remessa ilegal de dinheiro.

Disse também que sonha com o dia em que trabalhadores cubanos poderão ir para praça pública fazer um protesto por melhores salários.

A ida de Yoani ao Congresso foi proposta pelo deputado Otávio Leite (RJ) e pelo senador Alvaro Dias (PR), ambos tucanos.

O DEM, por intermédio do deputado Mendonça Filho (PE), requereu proteção da Polícia Federal à blogueira, enquanto o PPS, outro partido de oposição, prestou a ela solidariedade.

Ao se despedir da Câmara dos Deputados, Yoani agradeceu, mais uma vez : "Muito obrigado por essa lição de democracia. Gostaria que os 11 milhões de compatriotas cubanos pudessem ver pelo menos um pedacinho do que estou vendo. Estou impressionada com o Brasil. Nenhum incidente negativo vai manchar a lembrança que levarei de tudo isso".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.