Visita de norte-coreano é segredo mais mal guardado da China

Este pode ser o segredo mais mal guardado da China. Um VIP que, acredita-se, seja o ditador Kim Jong-il, da Creia do Norte, passou quase uma semana no coração do sul da China, visitando empresas de alta tecnologia em busca de idéias para revitalizar a economia periclitante de seu país. O governo chinês não confirma e nem nega que ele esteja no país. Mas se é mesmo Kim, ele escolheu um jeito estranho de permanecer incógnito, alugando um hotel inteiro e viajando acompanhado por um comboio de 30 automóveis.Nesta segunda-feira, jornais de Hong Kong com linha editorial pró-Pequim informaram que o comboio blindado de Kim o levou à capital chinesa para uma reunião com o presidente Hu Jintao que, espera-se, sugerirá a Kim que retorne às negociações internacionais sobre o programa nuclear da Coréia do Norte. A despeito do foco na indústria, a chave para a visita de Kim deve ser a reunião em Pequim, acredita Peter Beck, um analista em Seul, Coréia do Sul. Kim quer convencer os chineses a manter o apoio financeiro ao país e a resistir à pressão americana para impedir que a Coréia do Norte desenvolva atividades bancárias na China. A Coréia do Norte precisa de divisas chinesas, disse Beck.O ditador comunista, que raramente deixa seu país, provavelmente entrou na China em 3 de janeiro, em sua primeira viagem conhecida ao único aliado internacional da Coréia do Norte desde 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.