Visita de presidente chinês a Washington é marcada por protestos

O presidente americano George W. Bush recepcionou, nesta quinta-feira, o presidente chinês Hu Jintao com grande elegância na Casa Branca. A visita foi marcada para uma conversa sobre vários pontos econômicos que os dois países compartilham. A cerimônia cuidadosamente coreografada foi interrompida quando Hu iniciou seu discurso, mas uma mulher que conseguiu chegar o mais próximo possível das câmeras começou a gritar ordens de protesto contra o presidente chinês. Bush abriu seu discurso reafirmando que continuará a pressionar a China para "se mover em direção a um mercado mais flexível". Hu ficou tenso, como se estivesse em posição de sentido, enquanto Bush falava. O presidente americano também pressionou o líder chinês com relação a necessidade de sua cooperação para o combate à ambições nucleares do Irã e Coréia do Norte. Manifestantes se juntaram do lado de fora da Casa Branca, protestando pelos direitos humanos. A maioria fazia parte da Falun Gong, um movimento espiritual condenado pelo governo chinês, que o considera um culto maligno. O discurso de Hu foi marcado pela afirmação de que a China irá ajudar a acalmar as tenções nucleares com a Coréia do Norte e Irã. Ele disse também que irá trabalhar para promover melhor os direitos humanos. É a primeira vez que Hu visita os EUA como líder do governo, e é esperado que as conversas com Bush produzam ganhos substanciais nas políticas de comércio entre os dois países. Manifestações A visita atraiu grandes atenções de autoridades políticas e também de manifestantes nas portas da Casa Branca. A Falun Gong reuniu milhares de manifestantes nas ruas próximas a sede do governo americano. Eles traziam tambores, cantaram e gritaram. Bandeiras estampavam Hu como "Ditador Chinês" responsável por genocídios e outros "crimes nos campos de trabalho e prisões chinesas". O governo chinês também teve sua cota de apoio. Vários manifestantes pró-governistas se colocaram em frente a embaixada chinesa dando "boas vindas" a Hu e sua comitiva. O líder chinês almoçou com o presidente da Microsoft, Bill Gates, na terça-feira e na quarta-feira recebeu as boas-vindas dos funcionários da Boeing.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.