ALFREDO ESTRELLA/AFP
ALFREDO ESTRELLA/AFP

Visita de Trump causa demissão de ministro mexicano

A renúncia teria ocorrido em razão do resultado desastroso da visita de Trump à residência oficial da presidência, que desatou uma revolta quase unânime no país pelos insultos que o magnata tem proferido contra os mexicanos desde junho de 2015

O Estado de S. Paulo

07 de setembro de 2016 | 18h58

O ministro da Fazenda do México, Luis Videgaray, um dos responsáveis pela visita ao país do candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, apresentou sua renúncia do cargo. A notícia foi confirmada nesta quarta-feira, 7, por assessores do do presidente mexicano, Enrique Peña Nieto. José Antonio Meade, que ocupava o Ministério de Desenvolvimento Social, deve ser o substituto.

Videgaray, que era um colaborador próximo de Peña Nieto, não ocupará nenhum cargo após sua saída do ministério. A renúncia teria ocorrido em razão do resultado desastroso da visita de Trump à residência oficial da presidência, que desatou uma revolta quase unânime no país pelos insultos que o magnata tem proferido contra os mexicanos desde junho de 2015, quando lançou sua candidatura à Casa Branca.

Videgaray, Peña Nieto e a chanceler mexicana, Claudia Ruiz, haviam se reunido para decidir se a reunião com Trump seria ou não uma boa ideia. Claudia foi contra. Videgaray, a favor. Na ocasião, ele havia defendido a necessidade do encontro com o republicano como uma tentativa de acalmar os mercados e de suavizar suas posições, entre elas a suspensão do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta).

Após a visita, na semana passada, o presidente mexicano foi atacado por analistas, ex-presidentes do México, rivais políticos e muitos eleitores em redes sociais. Peña Nieto ainda tentou contornar as críticas ao dizer que havia deixado claro que não pagaria pelo muro que Trump pretende construir na fronteira com os dois países. Mas o estrago já havia sido feito. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoDonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.