Luca Zennaro/Reuters
Luca Zennaro/Reuters

Visita do papa é um desafio inédito para as forças de segurança dos EUA

Além da agenda que o pontífice cumprirá em Nova York, cidade ainda se prepara para receber 170 líderes que chegarão para a Assembleia Geral da ONU

O Estado de S. Paulo

15 Setembro 2015 | 12h36

NOVA YORK - Autoridades de Nova York admitiram que enfrentarão o “maior desafio em matéria de segurança” de sua história no final de setembro com a visita do papa Francisco à cidade, além dos 170 líderes mundiais que chegarão para a Assembleia Geral da ONU.

"Este evento será o maior desafio em matéria de segurança que jamais enfrentou o departamento (de polícia) da cidade", disse o chefe de polícia de Nova York, Bill Bratton, em uma coletiva de imprensa em Manhattan. "Nunca antes vimos algo como isto", admitiu o prefeito Bill de Blasio.

A polícia de Nova York e cerca de 50 agências de segurança locais, estatais e federais realizaram ontem um exercício de simulação com um cenário de franco-atiradores, queda proposital de edifícios e explosões.

Oficiais dos grupos especiais da polícia, serviços de inteligência, FBI, o Departamento de Bombeiros de Nova York, a Autoridade de Transporte de Nova York e Nova Jersey, e guarda-costas, entre outros, estiveram presentes no execício.

A carregada agenda do papa Francisco em Nova York inclui na quinta-feira uma missa na Catedral de St. Patrick e, no dia seguinte, um discurso na ONU, uma cerimônia no Memorial do 11 de setembro, visita a uma escola católica do Harlem, uma procissão no Central Park e uma missa no Madison Square Garden. /AFP

Mais conteúdo sobre:
visita papa Estados Unidos ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.