Visitas estão proibidas, diz mulher de Mujica

A senadora uruguaia Lucía Topolanski, mulher do presidente José Mujica, afirmou ontem que seu marido cancelou a viagem que planejava fazer a Havana para visitar seu colega venezuelano, Hugo Chávez, porque ninguém está autorizado a estar pessoalmente com o líder bolivariano, que enfrenta uma infecção respiratória após ter se submetido à quarta cirurgia contra um câncer na ilha.

MONTEVIDÉU, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2013 | 02h00

"Se não é possível vê-lo, a viagem não tinha sentido", disse a mulher de Mujica para o portal UNoticias, afirmando que o estado de saúde do presidente venezuelano "é uma preocupação para toda a América Latina". "Temos de esperar e ter esperança", disse.

A senadora declarou que a situação de Chávez é "muito delicada", afirmando que o quadro do líder bolivariano é "complexo" e "bastante imprevisível". Lucía disse que o presidente uruguaio - que passa alguns dias de descanso com ela no interior do Uruguai - acompanha "atento e preocupado" o estado de saúde do colega venezuelano.

Ela qualificou o quadro de Chávez como "um problema de Estado" e alertou que é preciso esperar informações oficiais sobre o caso. "Todo o restante é especulação", afirmou.

Velhos amigos. Mujica, um ex-líder guerrilheiro de esquerda, tem uma amizade de muito anos com Chávez. Quando o venezuelano viajou para Cuba, no mês passado, para a nova cirurgia contra o câncer, o uruguaio enviou uma emotiva carta ao colega, afirmando estar confiante de que ele voltaria às funções prontamente com "força, humor e companheirismo".

Mujica afirmou estar disposto a viajar para Cuba para visitá-lo. Dias depois, ele participou de uma missa convocada por ele pela recuperação do líder bolivariano. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.