Visivelmente debilitado, Papa celebra missa para 200 mil pessoas

O papa João Paulo II celebrou hoje uma grande missa solene nos arredores de Bratislava,perante uma multidão de 200 mil fiéis, encerrando a visita dequatro dias à Eslováquia.Visivelmente debilitado e com as mãos tremendo devido ao malde Parkinson, o papa realizou a missa durante três horas, masnão conseguiu completar a homilía e pediu a ajuda de umcardeal.Sob um sol escaldante, os 200 mil crentes reuniram-se no átrioda basílica de Petrzalka. Muitos poloneses viajaram para ver,talvez pela última vez, o antigo arcebispo de Cracóvia, cujasaúde é cada vez mais frágil. Muitos dos cristãos passaram a noite no local, acomodando-seem tendas ou em camas improvisadas.Durante a missa, o papa beatificou duas vítimas deperseguições comunistas, figuras heróicas da Igreja Católicalocal: o bispo Vasil Hopko (1904-1976) e a freira Zdenka CeciliaSchelingova (1916-1955). A religião foi reprimida durante oregime comunista (1948-1989).Ao longo da viagem que iniciou na quinta-feira, João Paulo II,de 83 anos, aparentou estar fatigado. Religiosos do Vaticanodeixaram perceber, desde a partida de Roma, que a viagem àEslováquia seria um teste para saber se o papa poderia fazerviagens no próximo ano.O porta-voz do Vaticano, Joaquín Navarro-Valls, garantiu quenão existem obstáculos a uma nova viagem do papa, que tem quatroconvites para o ano que vem, englobando França, Áustria, Suíça ePolônia. No entanto, alguns religiosos mais próximos a João Paulo IIreceiam que ele não possa mais viajar.Nos quatro dias de visita, João Paulo II visitou, além deBratislava, as cidades de Trnava, Banska Bystrica e Roznava.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.