Vítima de 11/9 é identificada após 10 anos

Para família de consultor de informática morto em ataques, identificação representa 'fim de um ciclo'

BBC Brasil, BBC

25 de agosto de 2011 | 08h06

A poucas semanas do aniversário de dez anos dos ataques no dia 11 de setembro de 2001 contra Nova York, o escritório legista da cidade anunciou ter identificado a vítima número 1.629 do atentado.

Ernest James tinha 40 anos quando se tornou uma das vítimas no atentado coordenado por militantes afiliados à rede Al Qaeda.

Há seis anos ele trabalhava como consultor de sistemas de informática na firma Marsh & McLennan, nos andares superiores da torre norte do World Trade Center, o segundo dos dois edifícios a desabar naquela fatídica manhã.

Após os ataques, 2.753 pessoas foram oficialmente dadas como desaparecidas. No total, 1.632 já foram identificadas, faltando ainda outras 1.121.

"Ele era alegre e dava o melhor de si para ser bom no trabalho", disse a noiva de James, Monique Keyes, de acordo com a rede de TV CNN.

"Estou feliz que a identificação tenha chegado neste momento, perto do décimo aniversário. Sinto que agora se fechou um ciclo."

À rede de TV CBS, Keyes disse que a descoberta "vai me permitir dizer adeus, finalmente".

Segundo a imprensa americana, as autoridades forenses de Nova York continuam fazendo testes de DNA com mais de 6,4 mil amostras retiradas dos escombros.

Em seu comunicado, a porta-voz do escritório legista nova-iorquino, Ellen Borakove, disse que se trata de um "esforço contínuo".  BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.