Vítimas de terremoto na China chega a 69.134

Governo concentra trabalhos na drenagem do Lago Tangjiashan, formado após tremor

Efe,

07 de junho de 2008 | 18h53

O número oficial de mortos pelo terremoto que atingiu a China no dia 12 de maio chegou a 69.134, indica a apuração do Conselho de Estado atualizada neste sábado, 7, enquanto as autoridades continuam acompanhando com preocupação a drenagem do lago Tangjiashan, que se formou após o tremor. Deslocado especialmente para a província de Sichuan (sudoeste), o Ministro de Recursos Hídricos da China, Chen Lei, explicou que o reservatório "continua perigoso", pois as chuvas persistem e o caudal não diminui, o que representa "um desafio para um lago que já transborda".   Veja também: China detona barragens e prédios danificados  Mapa da destruição na China  Entenda como acontecem os terremotos  Especial: antes de depois da tragédia    Chen acrescentou que as réplicas do tremor, os deslocamentos de terra e os vazamentos de água são outras ameaças que devem ser enfrentadas na região. Neste sentido, afirmou que os deslizamentos de pedras e rochas das montanhas próximas poderiam acrescentar 17 milhões de metros cúbicos de volume a águas que já superam os 200 milhões de metros cúbicos.   As autoridades reconheceram que esta hipótese representaria a destruição do dique e o avanço incontrolado das águas. Os trabalhos de drenagem através do canal construído por engenheiros do Exército começaram nesta manhã, quando o nível das águas superou o ponto mais baixo do dique que as continha.   O lago Tangjiashan se formou quando desprendimentos de terra e rocha bloquearam o curso do rio Jianjiang e as chuvas dos últimos dias fizeram com que o nível do lago aumentasse muito, o que cria o perigo de inundações.   Mais de 250 mil pessoas que vivem nas imediações do lago foram evacuadas nos dias anteriores por causa do temor de um transbordamento descontrolado, que ameaçava mais de 1,3 milhão de pessoas.   Por outro lado, o Conselho de Estado comunicou que o terremoto de 8 graus na escala Richter soma já 69.134 mortos e 17.681 desaparecidos. A Administração Sismológica da China informou que nas últimas 24 horas foram registradas 175 réplicas do tremor principal, sendo que nenhuma superou os 5 graus de magnitude.

Mais conteúdo sobre:
TerremotoChinabarreiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.