Vítimas eram dinamitadas ou jogadas de avião

O regime militar instaurado por Jorge Rafael Videla usou vários métodos para eliminar pessoas que considerava "subversivas", fossem vinculadas a grupos guerrilheiros, civis sem militância política, estudantes, empresários, entre outros. Os militares mataram a maioria de suas vítimas jogando-as vivas, de um avião, sobre o Rio da Prata ou o Atlântico. Mas também utilizaram o fuzilamento ou amarravam os prisioneiros juntos para, então, dinamitá-los. Algumas vítimas também morreram durante terríveis sessões de tortura. Os corpos eram sepultados em cemitérios clandestinos ou como indigentes. / A.P.

O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2013 | 02h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.