Vítimas são proibidas de processar fabricantes de armas

As vítimas de crimes não podem abrir processos no estado norte-americano da Califórnia contra fabricantes de armas cujos produtos foram utilizados em atos criminosos, determinou hoje a Suprema Corte do Estado, negando uma demanda originada pelo massacre de oito pessoas em 1993. A decisão, tomada por cinco votos contra um, coincide com as sentenças de outros tribunais dos EUA, que livram de responsabilidade os fabricantes de armas que foram processados por uso criminal de seus produtos. No caso da Califórnia, a determinação é uma vitória para a indústria de armas Navegar, que fabricou a arma utilizada no massacre ocorrido em um arranha-céu de São Francisco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.