Vitorioso, Modi se emociona no primeiro discurso no Parlamento da Índia

Narendra Modi se emocionou no seu primeiro discurso no Parlamento da Índia nesta terça-feira, depois que o nacionalista hindu chegou ao poder em uma eleição que mudou a cara da política no país.

SHYAMANTHA ASOKAN, Reuters

20 Maio 2014 | 16h49

Modi será o próximo primeiro-ministro indiano depois de levar o partido Bharatiya Janata (BJP) a uma vitória histórica, encerrada na sexta-feira. Ele deve fazer o juramento para tomar posse como líder da maior democracia do mundo na próxima segunda-feira.

A vitória deu ao BJP a sua primeira maioria parlamentar e reduziu o Partido do Congresso, da dinastia Nehru-Gandhi, a 44 assentos, a menor representação para uma legenda que conquistou a independência da Índia e governou durante a maior parte dos 67 anos transcorridos desde então.

Modi, de 63 anos, engasgou e interrompeu seu discurso para tomar um copo de água durante a sua primeira aparição no edifício colonial do Parlamento.

Ele se dirigiu aos legisladores do BJP, que preenchiam mais da metade das cadeiras da Câmara dos Deputados, com palavras inspiradoras que comentaristas imediatamente contrastaram com os pronunciamentos frequentemente rígidos do seu antecessor, Manmohan Singh.

“É a prova da força da nossa Constituição que um homem de família pobre esteja aqui hoje”, disse Modi, que vendia chá na plataforma de uma estação de trem na infância. Nos últimos 12 anos, ele governou o Estado de Gujarat.

“Este governo (será) um que pensa nos pobres, que ouve os pobres, um governo que vive para o povo”, declarou Modi, que beijou os degraus do edifício do Parlamento antes de discursar.

Os seus comentários pareceram calculados para se contrapor às críticas de o seu governo voltado aos negócios e ao rápido crescimento econômico em Gujarat não fez o bastante para tirar as pessoas da pobreza.

O partido do Congresso tem tradicionalmente se apresentado como defensor dos pobres e oprimidos da Índia.

Modi enfrenta uma dura tarefa para satisfazer as expectativas imensas de 1,2 bilhão de indianos, que esperam que ele tire o país do torpor econômico, lide com a corrupção e reduza a burocracia para criar empregos suficientes para o grande número de jovens que chegam ao mercado de trabalho.

Sob aplausos retumbantes e gritos de “Longa vida a Modi!”, os 282 parlamentares do BJP, que tem uma maioria confortável no Parlamento de 543 assentos, oficializaram o premiê como seu líder parlamentar, uma das várias formalidades antes da posse.

Modi evitou críticas ao Partido do Congresso, dizendo que todos os governos da Índia trabalharam para o bem da nação.

O presidente do partido, Rajnath Singh, foi menos conciliador, dizendo que a vitória de Modi significa que o BJP substituiu o Partido do Congresso como partido natural do governo na Índia.

“Com orgulho, podemos dizer que somos membros de um partido que agora é maior que o Partido do Congresso em estatura. Antes das eleições de 2014, era o BJP contra o Congresso, agora é o BJP contra os outros”, declarou Singh.

(Reportagem adicional de Nigam Prusty, Sruthi Gottipati e Mayank Bhardwaj; e de David Brunnstrom, em Washington)

Mais conteúdo sobre:
India Narendra Modi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.