Viúvas e filhas de Bin Laden pegam 45 dias de prisão

Um tribunal paquistanês condenou nesta segunda-feira três viúvas de Osama Bin Laden, além de duas de suas filhas, a 45 dias de prisão, por terem entrado e vivido ilegalmente no país, segundo o advogado de defesa Mohammed Amir Khalil. A sentença considera o tempo que elas já passaram encarceradas.

AE, Agência Estado

02 de abril de 2012 | 11h04

As cinco mulheres estão detidas desde maio do ano passado, quando o líder da Al-Qaeda foi morto na cidade de Abbottabad, próxima a Islamabad, capital paquistanesa, durante uma operação militar sigilosa dos Estados Unidos.

Todas foram formalmente presas em 3 de março, o que significa que cumprirão mais duas semanas antes de serem deportadas para seus países com as crianças mais jovens da família, informou o advogado Mohammed Amir Khalil.

Duas das viúvas são sauditas e a terceira é iemenita, disse Khalil. O Iêmen já aceitou o retorno da viúva iemenita, mas Khalil continua negociando com as autoridades sauditas. A Arábia Saudita cancelou a cidadania de Bin Laden em 1994 por causa de seus ataques verbais à família real saudita.

Khalil disse que não pretende apelar da decisão do tribunal. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.