Viúvo de Bhutto diz que não será candidato a primeiro-ministro

'O partido tem candidatos suficientemente fortes', afirmou Zardari; escolha do candidato será tomada em breve

Efe,

20 de fevereiro de 2008 | 16h49

O líder do Partido Popular do Paquistão (PPP) e viúvo da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, Asif Ali Zardari, anunciou nesta quarta-feira, 20, que não será o primeiro-ministro do país caso a legenda a lidere o próximo governo.  Veja também:Após eleições, Bush quer manter aliança entre Paquistão e EUAPartido de Bhutto quer coalizão sem aliados de MusharrafOposição tem esmagadora vitória em eleições no PaquistãoGoverno admite derrota em eleições paquistanesas Zardari afirmou que a decisão foi tomada após uma reunião do comitê diretor do PPP para analisar os resultados do pleito de segunda-feira, 18. "O partido tem candidatos suficientemente fortes para se tornar primeiro-ministro", disse o líder do partido, mas ressaltou que a decisão sobre o candidato só será tomada em alguns dias. Zardari, cujo partido venceu as eleições legislativas, com 88 cadeiras, defendeu ainda a criação de um governo de consenso nacional. Embora o PPP não descarte um pacto com a Liga Muçulmana do Paquistão (LMP), do presidente Pervez Musharraf, a legenda parece estar mais inclinada a fazer uma coalizão com o partido de Sharif e outras forças do parlamento. Nas eleições do país, em 2º lugar ficou a LMP, do ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, que obteve 65 cadeiras. Os simpatizantes de Musharraf na LMP ficaram em terceiro lugar.  A candidatura do PPP ao cargo de primeiro-ministro foi motivo de especulações na imprensa local, uma vez que, embora o candidato mais provável do partido seu vice-presidente, Amin Fahim, não se descartava a hipótese que Zardari se candidataria a chefe do governo.  

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoeleiçõesBenazir Bhutto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.