Viúvo de Bhutto rejeita oferta de Musharraf para ser premiê

Asif Ali Zardari, líder PPP, disse que prefere aliança com outros partidos

EFE

19 de janeiro de 2008 | 13h37

O viúvo da ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto, Asif Ali Zardari, rejeitou uma oferta do presidente Pervez Musharraf para ser chefe de um governo provisório e permitir, assim, o adiamento das eleições de fevereiro por um ano, afirmou neste sábado, 19, uma fonte do Partido Popular do Paquistão (PPP).   Vários colaboradores de Musharraf sugeriram ao co-presidente do PPP a possibilidade de adiar as eleições legislativas e formar um "amplo" governo nacional face às circunstâncias do momento, segundo a fonte.   A mesma fonte do partido confirmou que Zardari deixou claro que, pelo menos pelos próximos cinco anos, não terá interesse em nenhum cargo do governo. Além disso, o viúvo de Bhutto disse aos colaboradores do presidente que o PPP prefere uma aliança com outros partidos depois das eleições de 18 de fevereiro.   Zardari acrescentou que seu partido responderá com uma campanha de "agitação em massa" se a data eleitoral não for mantida.   O PPP deve iniciar sua campanha eleitoral no Parque de Liaqat, em Rawalpindi, perto de Islamabad, onde Bhutto foi assassinada no dia 27 de dezembro de 2007.   Apesar de Zardari ser o líder do PPP, o candidato ao cargo de primeiro-ministro é o vice-presidente do partido, Makhdum Amim Fahim.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTÃOBHUTTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.