EFE/EPA/MARIO CALABRESI
EFE/EPA/MARIO CALABRESI

'Vivi um milagre', diz brasileiro que sobreviveu a explosão no vulcão Stromboli, na Itália

Thiago Takeuti estava fazendo uma excursão pelo vulcão Stromboli, por volta das 16h locais, acompanhado de um amigo, o italiano, Massimo Imbesi, de 35 anos, quando duas explosões ocorreram

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2019 | 12h15

ROMA - O brasileiro que ficou ferido nas explosões do vulcão Stromboli, na Sicília, sul da Itália, foi identificado como Thiago Takeuti, de 35 anos. À agência Ansa, ele se disse surpreso por ter escapado com vida da explosão. "Vivi um milagre. Estou me perguntando por que sobrevivi", disse Takeuti.

O brasileiro estava fazendo uma excursão pelo vulcão Stromboli, por volta das 16h locais, acompanhado de um amigo, o italiano, Massimo Imbesi, de 35 anos, quando duas explosões ocorreram.  "Ouvimos uma forte explosão e começamos a correr", relatou Takeuti, explicando que estavam na subida do vulcão.

"As explosões, em um primeiro momento, pareciam um belo espetáculo, mas, depois, começaram a cair muitas pedras. Respiramos toda aquela fumaça e Massimo começou a se sentir mal", detalhou.

 "Depois da erupção, tentamos nos proteger em uma zona onde o fogo e a lava já tinham acabado. Mas, correndo entre as pedras, caímos. Massimo começou a respirar cada vez mais pesado. Tentei reanimá-lo com massagem cardíaca e respiração boca a boca, mas não tinha mais nada para fazer", disse o brasileiro.

Pânico com erupção do vulcão Stromboli

Cerca de 70 pessoas, turistas e residentes, foram retirados da região, após a chegada das equipes de resgate de toda a Sicília. Dois navios militares atracaram na ilha, em caso de necessidade de uma retirada geral, mas a situação foi logo controlada. “Se trata de uma medida de precaução. Muitos turistas pediram o traslado à ilha vizinha de Lipari, onde o prefeito os recebeu”, esclareceu o porta-voz da Proteção Civil do país, Calogero Foti. O medo foi tanto entre os turistas que alguns se jogaram nas águas do Mar Tirreno, segundo a imprensa local.

No céu, formou-se uma coluna de fumaça branca de dois quilômetros de altura, além de lançamento de rochas, lava e cinzas, o que provocou pânico entre turistas que visitavam o local. Na área, além disso, foram detectados alguns focos de incêndio, que estavam sendo combatidos.

As explosões foram precedidas por uma chuva de lava “de todas as bocas ativas em volta da cratera”, indicou o Instituto Nacional de Geofísica e Volcanologia (INGV).

O Stromboli é considerado um dos vulcões mais ativos do mundo, e tem estado em erupção quase que ininterruptamente desde 1932. Sua última erupção forte havia sido registrada em 1985. / Ansa, AFP e EFE

 

Tudo o que sabemos sobre:
Itália [Europa]vulcãoThiago Takeuti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.