Vizinhos do Afeganistão apoiam postura de diálogo com Taleban

Presidente Hamid Karzai anunciou que pediria à ONU que retirasse sanções a insurgentes não ligados à Al-Qaeda

estadao.com.br,

26 de janeiro de 2010 | 11h17

Represetantes dos países vizinhos se apoiaram Karzai (de verde). Foto: Tolga Bozoglu/Efe

 

ISTAMBUL - A Turquia e outros países vizinhos do Afeganistão apoiaram nesta terça-feira, 26, o "processo de reconciliação com o Taleban" proposto pelo presidente afegão, Hamid Karzai, por meio de uma declaração na cúpula regional de Istambul, segundo a agência AFP.

 

Na segunda-feira passada, Karzai havia anunciado que pediria à ONU que retirasse as sanções contra os guerreiros taleban que não têm vínculos com a rede terrorista Al-Qaeda, uma tentativa de reconciliação con os insurgentes do Afeganistão.

VEJA TAMBÉM:
Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

A reunião desta terça na Turquia visa a discussão de fórmulas sobre como ajudar as autoridades de Cabul a conseguir uma maior estabilidade e segurança.

 

O presidente turco, Abdullah Gul, é anfitrião do encontro do qual participam Karzai, o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, e o vice-presidente iraniano, Mohammad Reza Rahimi. Também participam os ministros de Assuntos Exteriores do Reino Unido, China, Tadjiquistão e Quirguistão, assim como o vice-ministro de Exteriores russo.

 

Na segunda-feira, foi celebrado em Istambul um encontro entre Afeganistão, Paquistão e Turquia, no qual os três países decidiram aumentar sua cooperação na luta contra os grupos radicais e renovaram sua vontade de combater todo tipo de terrorismo.

 

Karzai assegurou à imprensa que conta com o apoio internacional, sobretudo dos EUA e Europa, em seus esforços de dialogar com o Taleban para conseguir que deixem as armas.

 

O encontro desta terça precede a conferência da próxima quinta-feira em Londres, quando o Afeganistão buscará apoio diplomático, fundos para seu plano de reconciliação e ajuda para a reintegração dos taleban presentes no território afegão.

 

Com informações da agência Efe

Tudo o que sabemos sobre:
KarzaiTalebanAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.