Vizinhos do Iraque prometem cooperação contra o terrorismo

Funcionários de alto escalão de países vizinhos ao Iraque concluíram uma reunião realizada no Irã e assumiram o compromisso de ampliar a cooperação no controle das fronteiras e no combate à movimentação de dinheiro utilizado para financiar atividades extremistas. A declaração final dos participantes da reunião entre os países vizinhos do Iraque, mais o Egito, concentrou-se na necessidade de troca de informações "com o objetivo de controlar e evitar a movimentação de elementos terroristas, subversivos e praticantes de atividades ilegais em geral". O encontro de dois dias reuniu representantes dos governos de Arábia Saudita, Egito, Irã, Iraque, Jordânia, Kuwait, Síria, Turquia e da ONU. Os participantes pretendiam coordenar as ações na questão da segurança. O governo interino iraquiano e os Estados Unidos atribuem grande parte da atual rebelião a combatentes estrangeiros infiltrados, e pedem aos vizinhos do Iraque para que guardem melhor as fronteiras. Os países vizinhos manifestaram preocupação com a persistente instabilidade no Iraque e com suas conseqüências para a região como um todo. A declaração final do encontro reconhece a importância da questão e diz que os países precisam incrementar "a cooperação mútua na segurança, nas passagens e na movimentação da fronteira". O texto também afirma que os delegados presentes "apóiam a luta contra movimentações ilegais de capital e apoio a atividades terroristas, tráfico de bens, de armas e de drogas por suas fronteiras".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.