Vasily Fedosenko/Reuters
Vasily Fedosenko/Reuters

'Vocês são heróis', diz líder oposicionista a manifestantes na Ucrânia

Mesmo em cadeira de rodas, ex-primeira-ministra e símbolo da oposição no país, Yulia Tymoshenko, discursou para multidão acampada em Kiev

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2014 | 17h33

Horas após ser libertada da prisão, a ex-primeira-ministra e ícone da oposição na Ucrânia Yulia Tymoshenko chamou os manifestantes mortos na violência ocorrida no país nesta semana de "heróis". A oposicionista discursou para uma multidão no acampamento de manifestantes em Kiev. "Vocês são heróis, vocês são a melhor coisa na Ucrânia!", disse.

Tymoshenko, de 53 anos, que sofreu muitos problemas nas costas durante os dois anos de prisão, falou para a multidão em uma cadeira de rodas e parecia perto da exaustão. Mais cedo, o presidente do país, Viktor Yanukovich deixou a capital da Ucrânia e foi destituido do poder pelo Parlamento que o considerou "incapaz" de governar. A decisão do agora ex-presidente foi tomada após três meses de manifestações que, segundo o Ministério da Saúde, já deixaram 82 mortos devido aos confrontos entre manifestantes e a polícia, que incluiu ataques de atiradores.

Novas eleições foram marcadas para o dia 25 de março.

Yanukovich apareceu à tarde em uma rede local de televisão dizendo que seu carro tinha sido alvo de disparos, mas não aparentava ferimentos, de acordo com a agência 'Reuters'. "Não estou com medo", declarou o presidente. "Sinto pena do meu país, aterrorizado por gângsteres." Ele acrescentou que viajaria pelo sudeste do país para se encontrar com a população e se disse vítima de um golpe.

Aparentemente, a entrevista foi feita em Kharkiv, no nordeste do país. A faixa leste e o sul são considerados redutos do presidente e favoráveis à Rússia.

O comando das Forças Armadas anunciou que não se envolveria na disputa política. "As Forças Armadas da Ucrânia são leais a suas obrigações constitucionais e não podem ser arrastadas para um conflito político interno", afirmou comunicado publicado no site do Ministério da Defesa.

 

  
Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaTymoshenkoDiscurso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.