Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Vodca barata estimula alcoolismo, dizem ativistas russos

Pesquisadores e ativistas advertiram hoje que o baixo valor dos impostos sobre a venda de vodca na Rússia encoraja o alto consumo da bebida. Uma garrafa de meio litro de vodca é vendida no varejo pelo mínimo de 89 rublos (menos de R$ 5,50), segundo preço aprovado pelo governo russo, um valor muito menor do que no resto da Europa.

AE-AP, Agencia Estado

23 de março de 2010 | 17h56

O Parlamento russo elevou recentemente os impostos sobre produção e venda da cerveja, mas deixou os tributos sobre a vodca praticamente inalterados. Enquanto os impostos sobre produção e venda de um litro de álcool nos vizinhos países bálticos é, em média, de 12 euros (cerca de R$ 29), eles são inferiores a R$ 11 na Rússia.

O deputado Vladimir Medinskiy, da Duma, a Câmara Baixa do Parlamento russo, apoia preços mais altos para a vodca e admite que uma abrupta elevação dos preços da bebida seria bastante impopular. "As pessoas são contra isso", disse ele. "É a única coisa pela qual eu posso criticar as autoridades: a falta de vontade política em tomar uma decisão impopular."

Na Rússia, cerca de dois terços das mortes em acidentes de carro são relacionados ao consumo de álcool. O excesso de álcool também reduz a média de expectativa de vida no país em até dez anos, de acordo com a New Economic School. Este instituto compilou dados de uma pesquisa do governo que entrevistou 10 mil pessoas em toda a Rússia entre 1994 e 2008.

Estatísticas recentes do governo indicam também que o consumo anual de álcool dos russos é de até 18 litros per capita. Muitos cientistas, porém, deram pouco crédito aos dados. Alexander Nemtsov, chefe do departamento do Instituto de Pesquisa Psiquiátrica de Moscou, acredita que o consumo de álcool per capita deve ser algo em torno 15 litros por ano e disse que o governo estabeleceu um objetivo muito ambicioso quando decidiu reduzir o consumo para oito litros nos próximos dez anos.

"É impossível cortar drasticamente o consumo nos próximos 15 a 20 anos com as condições sociais e políticas atuais e com o nível de pobreza que temos", disse Nemtsov. Acredita-se que entre 2% e 5% dos homens sejam alcoólatras na Rússia, enquanto a estimativa de homens que bebem em excesso chega a 40%.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiavodcaalcoolismoimpostosbarata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.