Volta do horror: mais 27 mortos na Turquia

Cinco dias depois do duplo atentado contra sinagogas de Istambul, pelo menos 27 pessoas morreram na cidade em outros dois atentados quase simultâneos, desta vez contra objetivos britânicos. Aproximadamente 400 pessoas ficaram feridas nas duas explosões. Segundo testemunhas,uma picape carregada de explosivos foi detonada primeiro na frente do edifício do banco britânico HSBC às 11h10 (7h10 de Brasília). Dois minutos depois, outro caminhão-bomba explodiu diante da sede do Consulado da Grã-Bretanha, a poucosquilômetros dali.O cônsul-geral britânico em Istambul, Roger Short, está entre os 14 mortos - entre cidadãos britânicos e turcos - no ataque ao consulado. Short era um diplomata de carreira que falava turco fluentemente e tinha sido embaixador na Bulgária. De acordo com fontes ligadas ao consulado, ele estava entrando no prédio nomomento da explosão. Outras 13 pessoas morreram no banco, cujo edifício teve a fachada totalmente destruída.O movimento de viaturas das equipes de resgate e de ambulâncias congestionaram o trânsito em toda a cidade e os hospitais mais próximos do centro de Istambul não conseguiam atender às centenas de feridos, muitos dos quais em estado grave. O repórter da rede britânica BBC Steve Bryant descreveu Istambul como "uma cidade em meio ao caos".Um suposto porta-voz do grupo radical Frente dos Combatentes Islâmicos do Grande Oriente (IBDA-C, pelas iniciais em turco) telefonou para a redação da agência de notícias oficial Anatolia reivindicando a autoria do ataque para a organização, em parceria com a rede terrorista Al-Qaeda, liderada por Osama bin Laden.Os dois grupos também foram responsabilizados pelo duplo ataque de sábado, contra as sinagogas de Neve Shalom - no distrito de Beyoglu, o mesmo onde se localiza o consulado britânico - e Beit Shalom. Vinte e três pessoas, além dos dois terroristas suicidas, morreram nos dois atentados, que deixaram também 300 feridos.O ministro do Interior turco, Abdulkadir Aksu, disse que os veículos foram conduzidos até a frente do consulado e do edifício onde se localizam os escritórios do HSBC por motoristassuicidas. "O homem chegou na frente do consulado, bateu contra o portão e se explodiu", disse Aksu. Segundo policiais citados pela agência Anatolia, acaminhonete que explodiu no consulado parecia transportar o almoço do pessoal da missão. Nos caldeirões, onde deveria estar a comida, foram colocados os explosivos.Algumas testemunhas disseram às emissoras de TV que pensaram que havia se tratado de um terremoto, por causa da forma com que o chão tremeu. Segundo a imprensa turca, houve outras duas explosões hoje em Istambul, mas as autoridades só falam das duas registradascontra o consulado e o banco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.