Voluntária britânica é morta a tiros no Afeganistão

Embaixada checa se vítima teria dupla cidadania sul-africana; confronto a deixa 20 militantes mortos

Agências internacionais,

20 de outubro de 2008 | 08h28

Uma voluntária britânica morreu nesta segunda-feira, 20, baleada por dois homens armados que circulavam em motocicleta no oeste da capital do Afeganistão, Cabul. Mais cedo, oficiais afegãos afirmaram que a vítima era uma sul-africana. A embaixada do Reino Unido na cidade confirmou a nacionalidade da mulher, mas afirmou que ainda estava checando se ela teria dupla cidadania.   A mulher, que trabalhava em uma ONG de ajuda aos incapacitados, caminhava em direção ao trabalho quando recebeu vários disparos na cabeça, assegurou um porta-voz do Ministério de Interior afegão, Zemarai Bashary. A polícia de Cabul empreendeu uma operação para localizar os culpados do assassinato, que fugiram do local do crime, acrescentou o porta-voz. Em seu site, os taleban disseram ter matado uma "mulher estrangeira" por divulgar o cristianismo no Afeganistão. O grupo assegurou que seguiu a vítima durante um bom tempo antes do assassinato.   O ataque é mais um em meio à crescente insegurança em Cabul. A capital tem agora vários postos de controle policiais. Embaixadas, bases militares e a Organização das Nações Unidas constroem barreiras de cimento, como forma de se proteger dos atentados suicidas.   Seqüestros tendo como alvo ricos afegãos têm sido um problema em Cabul, mas ataques contra ocidentais na cidade e nas províncias vizinhas também aumentaram recentemente. No meio de agosto, militantes do Taleban mataram três mulheres que trabalhavam para o grupo internacional de auxílio dos EUA International Rescue Committee, enquanto elas se dirigiam para Logar, província ao sul de Cabul.   Em outro incidente, tropas lideradas pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) atacaram um bastião a oeste da capital, iniciando um confronto de dois dias que deixou 20 militantes mortos. A oeste de Cabul, helicópteros deixaram tropas da Otan no distrito de Halrez, na província de Wardak, na quinta-feira, iniciando uma batalha de dois dias, que também contou com ataques aéreos. A aliança informou sobre o fato nesta segunda-feira, em comunicado. Mais de 20 militantes foram mortos   A província de Wardak, 60 quilômetros a oeste de Cabul, tornou-se um foco de militantes. Os rebeldes expandiram suas bases tradicionais no sul e leste - ao longo da fronteira com o Paquistão - e ganharam territórios nas províncias vizinhas a Cabul, em uma investida que preocupa as tropas afegãs e as da Otan.   Esse avanço é em parte a razão pela qual altos militares norte-americanos advertiram que a invasão liderada pelos EUA para derrotar o Taleban está em perigo. Além disso, generais da Otan pediram um forte reforço nas tropas no país. Há atualmente 65 mil soldados estrangeiros atuando no Afeganistão, entre eles 32 mil norte-americanos.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.