Voluntários ocidentais são libertados no Afeganistão

Oito voluntários ocidentais, funcionários da organização humanitária alemã Shelter Now International, detidos no Afeganistão pelo Taleban desde o dia 3 de agosto, foram libertados nesta quarta-feira. O grupo, que aparenta estar em boas condições de saúde, viajou em um helicóptero militar dos Estados Unidos para o Paquistão, onde estão reunidos alguns de seus familiares. Todos eles tinham sido presos e estavam sendo julgados pelo Taleban sob acusação de pregarem o cristianismo entre os muçulmanos afegãos, o que era considerado um crime grave pelas leis islâmicas fundamentalistas ditadas pelos talebans. O julgamento dos oito foi interrompido pelo início dos bombardeios norte-americanos, em 7 de outubro último, já que os juizes da Suprema Corte afegã temiam que os ataques pudessem atrapalhar sua decisão justa no caso.A milícia Taleban tinha finalmente concordado em libertar os voluntários, mas terminou por abandoná-los em Ghazni, cerca de 80 quilômetros a sudoeste de Cabul, ao fugir do avanço dos rebeldes da Aliança do Norte, o que permitiu que que os três helicópteros norte-americanos das forças especiais os resgatassem, ajudados, em terra, por membros da Cruz Vermelha.Os voluntários libertados são as norte-americanas Dayna Curry e Heather Mercer, os alemães Georg Taubmann, Margrit Stebnar, Kati Jelinek e Silke Duerrkopf e os australianos Peter Bunch e Diana Thomas. Sua libertação foi intensamente comemorada pelo presidente norte-americano, George W. Bush, em seu rancho na cidade de Crawford, no Texas, onde recebe o presidente russo, Vladimir Putin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.