Vôo lembra viagem de retirantes

O Hércules C-130 emprestado ao Peru pela Força Aérea da Colômbia estava segunda-feira em sua quinta viagem do dia de Lima para Pisco quando sua tripulação concordou em embarcar o repórter do ?Estado? com as 5 toneladas de ajuda humanitária que o vôo levava. "Espero que o senhor nos perdoe pelo desconforto, mas não temos classe executiva", brincou o oficial de vôo colombiano Munõz. Não há cintos de segurança e os passageiros têm de segurar-se em cabos de aço esticados nas laterais da cabine. O avião levava também militares e bombeiros que renderiam companheiros que estavam trabalhando em Pisco havia três dias. O retorno foi num avião do mesmo modelo, mas da Força Aérea do Peru. Sem a carga, 120 passageiros se acomodaram sentados no chão ou em pé, segurando-se nos cabos. Com o restabelecimento parcial das vias terrestres, o número de feridos trazidos por aviões a Lima se reduziu. No interior do avião, o lotado vôo de meia hora remete ao transporte de retirantes em caminhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.