Votação no Parlamento põe governo Sharon em crise

O Parlamento israelense votou contra a proposta de orçamento do governo, instaurando uma crise política que poderá levar à queda do governo do primeiro-ministro Ariel Sharon e congelar ou eliminar os planos de retirada da Faixa de Gaza e de uma pequena parte da Cisjordânia. Pouco depois da votação, Sharon excluiu do governo o partido Shinui, principal parceiro na coalizão que sustenta sua administração. Os ministros do Shinui leram no Parlamento seus avisos de demissão, válidos a partir de sábado.Sharon precipitou a crise, convocando o primeiro turno de votação do orçamento, mesmo sabendo que seria derrotado, e conquistando uma oportunidade de reestruturar sua coalizão. Mas a iniciativa é arriscada e poderá levar a eleições gerais.O Shinui, um partido secular, votou contra o orçamento em protesto contra a dotação de milhões de dólares para partidos judeus ortodoxos. Com a demissão do Shinui, Sharon tentará atrair para o governo o Partido Trabalhista e pelo menos um grupo ortodoxo radical.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.