Votação sobre guerra não será amanhã, dizem EUA

O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, disse que a votação de uma nova resolução contra o Iraque no Conselho de Segurança da ONU não deverá acontecer amanhã, mas em algum outro dia desta semana. A nova resolução, proposta pelos EUA, Reino Unido e Espanha, dá ao Iraque o prazo até 17 de março para se desarmar. Na tentativa de obter apoio a essa proposta, o presidente dos EUA, George W. Bush, falou hoje pelo telefone com o primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, com o presidente da China, Jiang Zemin, com o presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, e com o sultão Qaboos de Omã.Os EUA têm feito pressão diplomática intensa sobre os países-membros do Conselho de Segurança, na tentativa de obter seu apoio. Hoje, além de França e Rússia, o Paquistão também anunciou que não vai apoiar uma guerra com o Iraque. Mas o primeiro-ministro paquistanês, Zafarullah Khan Jamali, não chegou a afirmar que seu país votará contra a resolução patrocinada pelos EUA. O governo do Chile, por sua vez, declarou que não apoiará a resolução tal como ela foi formulada. O Conselho de Segurança se reúne hoje à noite, a portas fechadas, para discutir a proposta norte-americana. O embaixador dos EUA junto à ONU, John Negroponte, disse que não vai propor que a votação seja hoje. Segundo a Associated Press, circulam na ONU rumores de que poderá haver mais uma reunião aberta do Conselho de Segurança antes da votação. A reunião aberta seria mais uma oportunidade para que os patrocinadores da resolução (e seus oponentes) tentem convencer os indecisos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.