Chris Wattie/Reuters
Chris Wattie/Reuters

Voto no Parlamento derruba governo do Canadá; eleição será em maio

Partido Liberal, de oposição, consegue aprovar moção de desconfiança contra o Partido Conservador, no poder desde 2006

estadão.com.br

25 de março de 2011 | 16h12

O governo conservador do Canadá foi derrubado por um voto de não confiança no Parlamento nesta sexta, numa histórica demonstração de descontentamento dos parlamentares com o governo, abrindo o caminho para a quarta eleição em sete anos no país.

 

A moção, pedida pelo Partido Liberal, de centro-esquerda, foi aprovada por 156 votos a favor e 145 contra na Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento. Os três partidos de oposição, juntos, possuem mais cadeiras no Parlamento que o Partido Conservador.

Essa foi a primeira derrota do governo canadense desde 2005 e a sexta de um governo na história do país. O primeiro-ministro Stephen Harper deverá pedir ao governador-geral, David Johnston, representante da rainha britânica Elizabeth II, a chefe de Estado do Canadá, que dissolva o Parlamento neste final de semana e convoque as eleições. Essa é uma formalidade, uma vez que o governador-geral age sob instruções e conselhos do primeiro-ministro.

 

 

A nova eleição deverá ocorrer no início de maio, após um período mínimo de 36 dias de campanha eleitoral. As datas mais prováveis são 2 ou 9 de maio.  

 

 

Os conservadores, apesar da derrota no Parlamento, estão com boas expectativas. Pesquisas mostram Harper à frente, com muitas chances de manter o poder e se fortalecer ainda mais. A oposição aposta na menção à série de escândalos éticos para minar a candidatura conservadora, que havia chegado ao poder com a promessa de "limpar" Ottawa.

 

"Depois de cinco anos de governo conservador, é hora de dizer basta", disse Michael Ignatieff, líder do Partido Liberal, antes de proferir o voto de desconfiança contra o governo conservador.

 

 

Nesta semana, um comitê parlamentar passou medida inédita na história canadense que impede o funcionamento de um comitê do governo acusado de esconder os custos reais de um programa de investimento.

 

A polícia canadense investiga um ex-assessor do primeiro-ministro Harper e, no mês passado, quatro políticos do partido Conservador foram acusados de violar as leis de financiamento eleitoral em 2006.

Os partidos políticos disputarão as 308 cadeiras da Câmara dos Comuns. Atualmente, os conservadores têm 143 cadeiras, os liberais têm 77, o Bloco Québécois (francófono) possui 47, e o Partido da Nova Democracia tem 36. Dois parlamentares são independentes e três cadeiras estão vacantes.

O Canadá tem governos de minoria desde 2004, com os conservadores no poder desde 2006, quando acabaram com 12 anos de governos liberais. Um partido precisa conquistar pelo menos 155 cadeiras para formar uma maioria de governo. 

  Com Agência Estado, Dow Jones e Reuters  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.