Voz da América ignora ordem e entrevista líder do Taleban

Ignorando as objeções do Departamento de Estado dos EUA, a rádio Voz da América levou ao ar uma reportagem na qual estava inclusa uma entrevista com o mulá Mohammed Omar, líder do Taleban, milícia que controla mais de 90% do Afeganistão.O Departamento de Estado reagiu furioso à transmissão da reportagem. "Representamos a maioria do comitê diretor da rede. Conseqüentemente, temos o direito de decidir sobre o conteúdo das notícias", reclamou Richard Boucher, porta-voz da chancelaria norte-americana.A reportagem, que também trazia comentário do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e de um líder oposicionista afegão, foi ao ar um dia depois de o porta-voz do Departamento de Estado ter dito que as entrevistas com Omar não deveriam ser divulgadas por emissoras vinculadas ao governo norte-americano enquanto o Taleban violar as resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.As resoluções exigem que o Taleban deporte o milionário saudita Osama bin Laden, suspeito de terrorismo, para que ele possa ser julgado pelos atentados contra as embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia, realizados em 1998.Bin Laden também é o principal suspeito pelos ataques terroristas de 11 de setembro contra o World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono, em Washington.A linha de conduta da Voz da América prevê que a emissora apresente as notícias de uma forma "acurada, objetiva e compreensiva". A rádio também leva ao ar editoriais que refletem os pontos de vista do governo norte-americano, identificando-os como tal.Ontem, Boucher disse que, "a não ser que Omar aceite o pedido das Nações Unidas, não há nenhuma informação de valor" numa entrevista com ele. De acordo com ele, o Departamento de Estado reconhece a independência editorial da Voz da América."Achamos que não é justo transmitir a entrevista. Não acreditamos que o contribuinte norte-americano queira tornar pública a voz do Taleban."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.