Jon Patrick Laurence Yen/Reuters
Jon Patrick Laurence Yen/Reuters

Vulcão entra em erupção nas Filipinas e mais de 8 mil pessoas são deslocadas

O Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia subiu para 4 o nível de risco na região - o máximo é 5; o aeroporto da capital Manila precisou ser fechado indefinidamente

Redação, O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2020 | 12h56

Um vulcão nas proximidades Manila, capital das Filipinas, entrou em erupção neste domingo, 12. Como consequência, ao menos 8 mil pessoas precisaram ser deslocadas pelas autoridades de segurança. O aeroporto internacional da região permanece fechado, sem previsão de abertura. Número de vítimas ainda não foi divulgado.

O vulcão Taal fica a cerca de 60 quilômetros ao sul de Manila e apesar do risco, é uma região que atrai milhares de turistas todos os anos. O Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia (Phivolcs) disse que a erupção gerou uma densa nuvem de cinzas e fumaça, ao mesmo tempo em que arremessou pedras a uma distância de 10 a 15 quilômetros. 

O Phivolcs também alertou sobre os possíveis riscos de um tsunami vulcânico e correntes rápidas de gás quente e matéria vulcânica que podem atingir áreas ao redor do lago Taal, um popular refúgio de fim de semana em Manila.

Como consequência, o nível de perigo para a região em torno do Taal subiu de 3 para 4 degraus na escala de risco. "Uma erupção perigosa pode acontecer dentro de horas ou dias", disse Renato Solidum, chefe do instituto de vulcanologia. O nível 5 - o mais alto -, significa que uma erupção perigosa, e de larga escala, está em andamento.

Não há relatos imediatos de feridos ou danos. Mais cedo, as autoridades se esforçaram para deslocar os mais de 6 mil moradores da ilha que fica situada no mesmo lago que também abriga o vulcão. 

Além desse grupo, outras milhares de pessoas também foram deslocadas de cidades costeiras que ficam próximas ao vulcão, disseram autoridades. "Pedimos a todos que estão em áreas de alto risco, incluindo na ilha, para que as desloquem agora, antes de uma erupção ainda mais perigosa", advertiu Solidum.

Renelyn Bautista, uma dona de casa de 38 anos que estava entre os milhares de moradores que fugiram da cidade de Laurel, na província de Batangas, disse que abandonou a casa junto com seus dois filhos, incluindo um bebê de quatro meses, logo depois do Taal ter entrado em erupção e o chão tremer levemente.

"Deslocamos às pressas quando o ar ficou turvo devido a chuva de cinzas que rapidamente começou a cheirar a pólvora", contou Bautista à AP por telefone.

Todos os voos internacionais e domésticos de partida e chegada foram suspensos no domingo à noite no aeroporto internacional de Manila, "devido às cinzas vulcânicas nas proximidades do aeroporto e rotas aéreas próximas", disse a Autoridade de Aviação Civil das Filipinas.

As autoridades disseram que estavam pensando em desviar os voos para aeroportos não afetados fora de Manila. Até o momento, não há previsão para restabelecimento do serviço aéreo local./ AP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.