Dennis M. Sabagan/Efe
Dennis M. Sabagan/Efe

Vulcão nas Filipinas eleva atividade e 30 mil devem deixar área

Mayon expele lava continuamente e forma rio de 700 metros; fragmentos atingem raio de três quilômetros

estadao.com.br,

16 de dezembro de 2009 | 09h22

Após obrigar a evacuação de aproximadamente 20 mil pessoas, o vulcão Mayon, um dos mais ativos das Filipinas, continua expulsando cinza e lava, hoje, com explosões cada vez mais frequentes.

As autoridades pretendem evacuar nos próximos dois dias outros 30 mil habitantes em um raio de seis quilômetros em torno ao vulcão, embora o Instituto Filipino de Vulcanologia considere que sua atividade "não causa um perigo iminente".

O instituto indicou que nas últimas 24 horas os sismógrafos detectaram 78 abalos causados por explosões no interior do vulcão. "Isto significa que o Mayon está realmente ativo", explicou Paul Alanis, vulcanólogo do instituto.

Desde que, na segunda-feira passada, os especialistas deram o alerta, o vulcão expeliu lava continuamente, formando um rio que já tem aproximadamente 700 metros, enquanto os fragmentos caem a uma distância de até três quilômetros da cratera, segundo o Instituto.

As autoridades da província de Albay mantêm o alerta no nível 3, embora o Instituto apontou que ele será elevado para 4, caso seja detectado um aumento da atividade vulcânica. A escala vai até 5.

Milhares de pessoas evacuadas de aldeias próximas ao Mayon, situado cerca de 20 quilômetros a norte da cidade de Legazpi, foram alojadas em edifícios públicos, onde é provável que permaneçam pelo menos até depois do Natal.

A atividade do Mayon é seguida de perto pelos vulcanólogos desde julho deste ano, quando aumentou seu movimento após quase três anos adormecido.

Com informações da Efe

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasvulcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.