Vulcão registra mais de 130 explosões em 24 horas

O vulcão Tungurahua, na região central andina do Equador, registrou grande atividade sísmica nas últimas 24 horas, com mais de 130 explosões, de intensidades baixa e moderada, informou o Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional.Várias explosões geraram ondas acústicas, com sons similares a tiros de canhão, que puderam ser ouvidas a 20 quilômetros de distância, embora as mais fortes também tenham sido ouvidas na cidade de Ambato, cerca de 40 quilômetros em sentido oeste.O Tungurahua, que entrou em erupção em 1999, manteve períodos de intensa atividade, intercalados com lapsos de relativa calma.Os cientistas que analisam o comportamento da montanha, de 5.029 metros de altura, calculam que a erupção durará meses ou anos, e não descartam que em algum momento possa gerar uma grande explosão.As freqüentes atividades do Tungurahua geraram colunas de vapor, cinza e gases magmáticos, como nuvens que chegaram a mais de dois quilômetros de altura sobre a cratera.Além disso, as explosões, conhecidas pelos cientistas como "estrombolianas", se caracterizam pela expulsão de rochas incandescentes, que são elevadas a cerca de 100 metros da cratera, para cair depois pelas laterais da montanha.Uma parte da cinza emanada pelo vulcão caiu nas cidades vizinhas de Cusúa e Choglontus, informa o relatório do Instituto Geofísico, que avalia também que a montanha expeliu nas últimas horas cerca de 80 toneladas de dióxido de enxofre.As autoridades equatorianas mantêm na zona estado de "alerta amarelo", de precaução, que pode mudar para "vermelho", de evacuação imediata, caso seja registrado um aumento na atividade do vulcão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.