Walesa se diz 'desiludido' nos 30 anos do Solidariedade

O fundador do sindicato Solidariedade da Polônia, Lech Walesa, evitou hoje vários eventos em comemoração ao aniversário de 30 anos do movimento, se dizendo cansado e desiludido com os rumos atuais da organização sindical.

AE-AP, Agência Estado

30 de agosto de 2010 | 19h33

Os eventos fazem parte de uma série de comemorações das manifestações de 1980, quando os operários em greve no estaleiro de Gdansk forçaram o regime comunista da Polônia a realizar concessões. O sucesso do movimento ajudou a levar mais tarde, em 1989, à queda dos regimes comunistas no Leste Europeu.

Walesa, atualmente com 66 anos, foi presidente da Polônia entre 1990 e 1995. Ele se disse infeliz com a política e a economia polonesas e até mesmo com o movimento Solidariedade, porque o sindicato passou a se envolver com a política diária, na visão dele. Walesa não compareceu a dois eventos em Gdynia e a outra comemoração em Szczecin, um outro porto polonês no Mar Báltico. Walesa deverá, no entanto, assistir a um concerto amanhã em Gdansk, que será um dos principais eventos das comemorações.

"Após 30 anos de um enorme esforço pessoal, hoje eu estou terrivelmente cansado", escreveu Walesa, em seu blog. "É por isso que não estou participando ativamente de muitos encontros e cerimônias". Ele disse ao canal da televisão polonesa TVN24 que o Solidariedade deveria voltar ao seu papel de movimento social. "Isso é preciso na Europa, e até mesmo globalmente", avaliou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.