Washington desmente oferta de ajuda à Coréia do Norte

O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, desmentiu que osEUA tenha oferecido ajuda ao regime comunista norte-coreano na área de energia em troca do abandono, pela Coréia do Norte, de seu programa nuclear com fins militares. A oferta havia sido anunciada em Seul, na Coréia do Sul,pelo secretário-assistente de Estado James Kelly, enviado especial do governo dos EUA àquela região. Fleischer reafirmou a posição norte-americana, anunciada na semana passada pela administração Bush, de "dialogar, mas não negociar" com a Coréia do Norte. O porta-voz disse ainda que os EUA não estão estudando a possibilidade de uma ação militar contra o regime norte-coreano, embora esta seja uma opção.Ainda hoje, o embaixador da Coréia do Norte na Rússia, Pak Ui-Chun, disse que seu país poderá reverter a decisão de retirar-se do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, anunciada na semana passada, desde que os EUA e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da ONU, também revertam suas políticas.Segundo Pak, a AIEA "deveria parar de agir como uma ferramenta dos EUA e os EUA precisam parar de usar a agênciacomo instrumento de pressão". Ele também disse que "aRepública Popular Democrática da Coréia vai encarar a imposição de quaisquer sanções como uma declaração de guerra. Isto deve ser entendido literalmente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.