Washington recusa punição a militares envolvidos em ataque aéreo que matou 24

O Estado de S.Paulo

26 de março de 2012 | 03h00

O Exército dos EUA decidiu que nenhum membro será punido por participar do ataque aéreo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que matou 24 soldados paquistaneses, em novembro. Uma investigação dos EUA constatou que os paquistaneses dispararam primeiro de dois postos da fronteira fora dos mapas de coalizão e continuaram atirando depois de os americanos avisarem que eram tropas aliadas. O Exército concluiu que os militares agiram em legítima defesa.

O Paquistão rejeitou a conclusão. Ontem, o líder religioso Maulana Fazal-ur-Rehman (foto) ameaçou bloquear estradas se o país permitir o abastecimento da Otan, cortado após o ataque americano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.