AP Photo/Ivan Sekretarev
AP Photo/Ivan Sekretarev

Washington suspende temporariamente concessão de vistos na Rússia

Governo diz que medida é reflexo da redução de pessoal diplomático no país ordenada por Moscou um julho; Putin nomeia especialista em desarmamento como novo embaixador do país nos Estados Unidos

O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2017 | 11h27

MOSCOU - O governo dos Estados Unidos suspenderá temporariamente a concessão de vistos na Rússia a partir de quarta-feira em consequência da redução do número de funcionários diplomáticos determinada por Moscou em resposta às sanções, anunciou nesta segunda, 21, a embaixada americana.

"Devido ao limite imposto pelo governo russo sobre a quantidade de funcionários diplomáticos autorizados a estar na Rússia, todas as operações sobre vistos de não imigrantes serão suspensas em 23 de agosto, antes da retomada em 1 de setembro apenas em Moscou", anunciou a embaixada em um comunicado.

O governo americano tem consulados em São Petersburgo, Ekaterinburgo e Vladivostok, além da capital russa. A decisão permanecerá em vigor pelo tempo que Moscou prosseguir com as medidas impostas em julho.

As autoridades russas ordenaram a Washington a redução do número de funcionários da embaixada e em consulados de 755 pessoas para 455, o mesmo número de empregados nas representações russas nos Estados Unidos.

As medidas, de magnitude inédita, foram adotadas como represália ao confisco de duas propriedades da diplomacia russa nos Estados Unidos e às sanções econômicas votadas pelo Congresso americano contra Moscou, acusado de interferência na eleição presidencial americana de 2016. 

Diplomacia

O presidente russo, Vladimir Putin, nomeou o especialista em desarmamento Anatoly Antonov como novo embaixador da Rússia nos EUA, em substituição a Serguei Kislyak, segundo decreto divulgado nesta segunda-feira pelo Kremlin.

Antonov, até então vice-ministro das Relações Exteriores, também substitui Kislyak como representante da Rússia perante a Organização de Estados Americanos (OEA).

O novo embaixador russo chegará a Washington já com uma reputação controvertida, pois em 2015 foi incluído pela União Europeia (UE) na lista de sancionados por conta da política de Moscou em relação à Ucrânia.

Na ocasião, Antonov era vice-ministro da Defesa e, por isso, segundo Bruxelas, estava envolvido no desdobramento de tropas russas na Ucrânia e na anexação da Crimeia. Ele permaneceu nesse Ministério até dezembro, quando retornou à pasta das Relações Exteriores como vice-ministro, algo que foi considerado como um passo necessário para que depois pudesse ser nomeado como embaixador.

Segundo analistas políticos, Antonov tem grande experiência em manter conversas com responsáveis dos EUA, especialmente no campo do controle armamentístico e atividades militares. 

Ele foi o negociador-chefe para o novo tratado START em 2010 junto à diplomata americana Rose Gottemoeller, atual vice-secretária-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Também liderou a equipe russa em 2015 e 2016 nas conversações com os EUA para evitar incidentes entre os aviões de ambos os países na Síria. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.