Washington toma distância de fala de Berlusconi

Evitando concordar com a tese do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, de que a cultura islâmica é inferior à civilização ocidental, o Departamento de Estado dos Estados Unidos afirmou nesta quinta-feira que o combate contra o terrorismo "não é uma luta contra o Islã ou os árabes".O porta-voz do Departamento de Estado, Richard Boucher, manifestou apoio aos governos islâmicos que "querem avançar em direção ao mundo moderno"."Isto tem a ver com liberdade, não com cultura", afirmou Boucher, acrescentando que o objetivo é trabalhar contra "a violência e o terror" e contra aqueles que tentam "quebrar a paz e a liberdade de outros". Berlusconi causou polêmica na quarta-feira, quando falou da "superioridade da nossa civilização" em relação àquela dos países islâmicos. Em sua declaração, Boucher não se referiu explicitamente ao comentário do primeiro-ministro italiano.As observações de Berlusconi vieram à tona na quarta-feira, durante uma conversa entre o secretário de Estado, Colin Powell, e o rei Abdullah II, da Jordânia.Boucher afirmou que o monarca jordaniano deixou claro que vai apoiar a luta contra o terrorismo. Powell e Abdullah evitaram tecer comentários depois da reunião. O rei Abdullah vai encontrar-se com o presidente americano, George W. Bush, nesta sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.