Websfera
, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2010 | 00h00

Adeus à Iugoslávia, mas agora na internet

Sete anos depois de sumir do mapa, a Iugoslávia deixa de existir como nação também na web. Esta semana, as 4 mil últimas páginas com o domínio .yu foram extintas ou substituídas por .rs, para Sérvia, e .me, para Montenegro. O prazo inicial para o fim do .yu era 30 de setembro, mas o órgão responsável por regular os domínios pediu uma prorrogação, dado o caráter especial de sites que estavam diretamente ligados à história do antigo país, como universidades. A Iugoslávia real começou a ruir em 1992, quando Eslovênia, Croácia, Bósnia e Macedônia ficaram independentes. Em 2003, o que restou do país virou Sérvia e Montenegro, nações separadas definitivamente em 2006.

NATIONAL PUBLIC RADIO

Ótimos currículos não estão imunes à crise

Especialistas em recursos humanos observaram que a crise econômica leva a uma nociva reação em cadeia. Quem tem bom currículo aceita funções que exigem menos experiência e conhecimento. Quem está descontente com o trabalho, por sua vez, fica onde está com medo de não encontrar emprego em outro lugar. Sobra para os recém-formados, que encontram menos vagas. Diminuem qualidade e produtividade.

BBC

Oposição ameaça com boicote em Mianmar

Depois de 20 anos de espera pela convocação de eleições em Mianmar, a oposição pensa em por não participar. Culpa das regras que proíbem que monges ou membros conhecidos da oposição possam se candidatar. Parte dos oposicionistas espera que os critérios da junta militar mudem para então disputar a eleição. Outra parcela acredita que boicotar as votação pode ser pior, pois legitimaria o grupo no poder.

THE WASHINGTON TIMES

Dívida dos EUA pode chegar a 90% do PIB

O Gabinete Orçamentário do Congresso (CBO, na sigla em inglês) divulgou um relatório estimando que o orçamento apresentado pelo presidente Barack Obama para o ano fiscal de 2011 criará US$ 10 trilhões em déficits ao longo dos próximos dez anos - US$ 1,2 trilhão a mais do que a Casa Branca calculava. Com isso, segundo o CBO, a dívida dos Estados Unidos chegaria a 90% do PIB em 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.