Websfera

Websfera

Não esquecer: o post-it é uma grande invenção

, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2010 | 00h00

WASHINGTON POST

Em 1973, os EUA passaram a homenagear seus grandes inventores em um Hall da Fama, cujo primeiro integrante foi Thomas Edison, o criador da lâmpada. Entre os membros mais recentes do grupo está Arthur Fry, que bolou algo também brilhante. Há 30 anos, ele encontrou utilidade para uma descoberta peculiar do amigo Spencer Silver: um adesivo que funcionava à base de pressão e tinha aderência moderada. Ao aplicar o produto sobre papéis quadrangulares, Fry criou o post-it, o bilhete que colado em geladeiras e computadores cumpre uma importante função, impedir que a humanidade se esqueça do que deve fazer diariamente.

LOS ANGELES TIMES

Coreia do Norte é alvo de dissidente

Depois de 15 anos em um exílio silencioso, Kim Jong Ryul, ex-funcionário do governo norte-coreano, decidiu falar. Em um livro, ele conta como o regime compra dispositivos nucleares por preços maiores do que os de mercado e descreve a vida de luxo dos ex-patrões.

THE GUARDIAN

Chineses barram Dylan preventivamente

Dois shows que o cantor Bob Dylan faria em Pequim e Xangai foram proibidos. A razão: Bob Dylan. O governo chinês está reticente desde que, em 1998, a cantora Bjork gritou "Tibete, Tibete" em uma apresentação. Dylan, de 68 anos, ainda é conhecido pelo histórico de rebeldia.

ASSOCIATED PRESS

Leite materno fortalece bebês e governos

Nos EUA, apenas 43% das mulheres amamentam. Destas, 12% o fazem até os 6 meses. Ruim para os bebês, ruim para o governo americano, que deixa de poupar US$ 13 bilhões por ano. O dado é parte de um estudo, publicado no jornal Pediatrics. A pesquisa levou em conta o custo da mortalidade infantil e os gastos públicos com enfermidades prevenidas pelo leite materno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.