, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2010 | 00h00

Ação de Obama contra Arizona é impopular

A tentativa da Casa Branca de barrar na Justiça a lei de imigração do Arizona, que permite a policiais parar e interrogar pessoas com "aparência" de imigrantes ilegais, é impopular. Metade dos americanos desaprova a iniciativa do presidente Barack Obama, que com uma decisão da Suprema Corte pretende evitar a aprovação de legislações semelhantes em outros estados. Sua ideia tem o apoio de 33% dos americanos. Mesmo eleitores democratas e independentes, que levaram Obama à presidência, desaprovam a iniciativa (56%). Entre republicanos, a rejeição é de 80%. Com tal apoio popular, o governador do Arizona, Jan Brewer, espera uma vitória na Justiça, mas juristas apostam que Obama deve ter sucesso.

TIME

Abstinência e dor de cotovelo têm paralelo

A dor de uma desilusão amorosa afeta as mesmas áreas do cérebro atingidas no sofrimento de um viciado em drogas. Neurologistas da Universidade de Nova York concluíram ao entrevistar jovens acadêmicos que telefonemas obsessivos, apelos desesperados e ingestão de bebida são semelhantes aos de um vício. THE WASHINGTON POST

EUA organizam "censo gay" entre militares

Robert Gates, secretário de Defesa dos EUA, enviou a 400 mil militares questões sobre a política "não pergunte, não conte", pela qual não se deve revelar a orientação sexual dentro das forças armadas. O objetivo do "censo gay" é identificar áreas em que a abolição da norma, promessa de Obama, causaria mais problemas.

EL PAÍS

Valência usa "ética" para driblar lei pró-aborto

Uma das inovações da lei espanhola que descriminaliza o aborto nas primeiras 14 semanas de gestação é o acompanhamento da mulher por especialistas, antes e depois da intervenção. Em Valência, onde governa a direita, essa assessoria sofre adaptações. O feto é mostrado às gestantes em vídeo, fotografias e ecografias em três dimensões. A intenção, oficialmente, é "dar informação sobre a transcendência ética do aborto".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.