, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2010 | 00h00

Razões para ficar em Guantánamo

Administradores da prisão americana de Guantánamo, em Cuba, querem libertar seis argelinos. Mandá-los para casa. Eles preferem ficar. Temem ser torturados pelo governo da Argélia, ou mesmo mortos, caso se recusem a integrar grupos terroristas. "Estes homens preferem ficar na ilha pelo restante da vida. Estão apavorados por deixar Guantánamo, mas o governo quer jogá-los de um penhasco", disse o advogado de um deles. Estima-se que 200 mil pessoas morreram por razões políticas na Argélia desde 2002. Ainda assim, a administração de Guantánamo garante que nenhum dos 10 argelinos repatriados até agora teve problemas. China, Líbia, Síria, Tunísia e Usbequistão são considerados países bem mais arriscados.

WIRED

Presa por ameaçar a si mesma

Um ano de cadeia. Esta é a pena para uma californiana que enviava SMS com ameaças para si mesma e culpava o ex-namorado. O jovem chegou a ser preso uma vez e sua irmã, três, até a polícia rastrear a origem do telefone pré-pago.

ABC NEWS

EUA querem baixar em 25% contágio por HIV

Os EUA pretendem reduzir em 25% as infecções por HIV em cinco anos. A tática é tirar o foco da prevenção por abstinência, mote da administração Bush. Cinco americanos contraem o vírus por hora. Há 1,1 milhão de infectados no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.