, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2010 | 00h00

Texas libera entrada de armas no Parlamento

Há um mês, descobriu-se que políticos, jornalistas, advogados entravam armados no Parlamento do Texas, sem passar pelo detector de metais. Bastava ser conhecido pelos seguranças. Feito o alerta sobre o risco de um atentado, esta semana veio a solução. Carregar rifles e pistolas, um hábito no Estado, seguirá permitido. Mas será necessário apresentar na portaria uma licença que certifique o porte (não exibir a arma) para entrar rapidamente no prédio. A solução incomum criou um movimento inusitado. Frequentadores que nunca empunharam uma arma pretendem tirar a tal licença. Não querem portar armas, mas evitar as filas de até 300 pessoas formadas nos detectores de metal.

NBC

Alemanha procura radicais arrependidos

Há 36 mil extremistas islâmicos na Alemanha, sem que o país tenha registrado um grande atentado. Para seguir assim, o governo lançou o programa Hatif (telefone em árabe). Em alemão, turco e árabe, dá proteção a radicais arrependidos.

EL PAÍS

Por que espanhóis falam mal o inglês?

A dificuldade dos espanhóis para falar inglês não tem raízes genéticas. Há três razões básicas: o limitado número de sons vocálicos da língua espanhola, a dublagem feita na televisão e no cinema e o pouco tempo de ensino obrigatório da língua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.