Cristiano Dias, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

WASHINGTON POST

China investe no Brasil em busca de influência

A China está a caminho de tornar-se o país que mais investe no Brasil, tomando o lugar dos EUA. Foram US$ 20 bilhões só no primeiro semestre - dez vezes mais do que todos os investimentos anteriores do país em território brasileiro. Exemplo dessa posição agressiva é o Porto do Aço, em São João da Barra, no litoral do Estado do Rio, que receberá em breve os gigantescos cargueiros e petroleiros da China. Segundo analistas, essa nova "Diplomacia do Dólar", ao estilo chinês, é uma forma inteligente de estender a outras partes do mundo a influência política de Pequim. Como ajuda, os chineses têm duas armas: a simpatia de ser mecenas do Terceiro Mundo e cerca de US$ 2 trilhões em reservas cambiais.

THE NEW YORK TIMES

2ª Guerra ainda é a mais cara da história

A 2ª Guerra permanece sendo a mais cara da história, de acordo com um relatório do Serviço de Pesquisas do Congresso americano. Em segundo lugar vem a guerra ao terrorismo, deflagrada após o 11 de Setembro, que já consumiu US$ 1,15 trilhão.

THE ECONOMIST

Ricupero e as 4 razões do sucesso brasileiro

Em um encontro recente, em Hong Kong, o embaixador Rubens Ricupero enumerou quatro razões para se acreditar no Brasil: a demanda por commodities, a exploração de petróleo, o crescimento demográfico e a urbanização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.