, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2010 | 00h00

Cientista paquistanesa é condenada a 86 anos

Aafia Siddiqui, cientista paquistanesa, de 38 anos, foi sentenciada na quinta-feira a 86 anos de prisão nos EUA por um tribunal de Nova York. Ela foi considerada culpada de tentar matar autoridades americanas no Afeganistão. Presa em julho de 2008, ela foi enviada para os EUA, julgada e condenada em fevereiro deste ano. A condenação provocou vários protestos no Paquistão que pediam a libertação da cientista. Procuradores americanos afirmam que Siddiqui é uma radical extremista que merecia a prisão perpétua. A defesa da cientista pediu uma sentença de 12 anos de prisão, alegando que Siddiqui sofre de problemas mentais.

FRANCE PRESSE

EUA preparam defesa cibernética do país

Novo comandante dos EUA de operações militares contra a guerra cibernética, o general Keith Alexander, defendeu esta semana a criação de uma rede separada de computadores para proteger agências civis do governo e indústrias estratégicas.

BBC

Vírus criado afetaria computadores do Irã

Um vírus de computador pode ter sido criado para atingir a infraestrutura iraniana de "alto valor". A complexidade do malware Stuxnet, programa que permite o acesso remoto ao computador infectado, sugere que ele deve ser obra de algum governo.

CS MONITOR

Al-Qaeda no Magreb se especializa em sequestro

Os cofres da Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) estão cada vez mais cheios. O grupo, que sequestrou cinco franceses no Níger, na semana passada, exige - e recebe, na maioria das vezes - entre 5 milhões e 10 milhões por refém.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.