Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2011 | 00h00

THE WASHINGTON POST

Matar um terrorista top vale US$ 59 milhões?

Os ataques com aviões não tripulados no Paquistão custaram à CIA US$ 118 milhões no ano passado. Como resultado dos bombardeios, morreram dois terroristas da lista dos mais procurados. No total, foram mortos 581 militantes do Taleban. A relação entre custo e benefício reacendeu as críticas aos drones nos EUA.

MONSTER AND CRITICS

Lista de mortos sai 100 anos após incêndio

O nome das 146 vítimas do incêndio na fábrica Triangle Waist, ocorrido em Nova York em 1911, serão lidos em 25 de março, 100 anos após a tragédia, um dos grandes traumas da cidade. Seis mortos só puderam ser identificados com a tecnologia atual.

THE NEW YORK TIMES

Europa adia liberação de líquidos em aviões

A liberação do ingresso de líquidos em aviões, que os europeus pretendiam ver em abril, só deve sair em 2013. As restrições vigoram há cinco anos e incomodam principalmente os passageiros que perdem suas garrafas de uísque antes de embarcar.

AMERICANA

US$ 20 milhões será a quantia que receberá um programador que prometeu ao governo dos EUA um software contra um ataque da Al-Qaeda

CNN

Texas quer liberar armas em universidades

A maioria republicana no Legislativo texano deve permitir que universitários (e professores) passem a usar armas nas salas de aula do Estado. Eles já teriam o respaldo do governador Rick Perry, que sempre anda armado, e votos para mudar a lei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.