Websfera, o melhor da internet

WALL STREET JOURNAL

, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2010 | 00h00

Afilhado de Videla tenta mudar registro batismal Em 1973, o então presidente argentino, Juan Domingo Perón, assinou um decreto que criou uma lei inusitada: a pedido dos pais, o sétimo filho de um casal pode solicitar que o presidente se torne seu padrinho de batismo. Quatro anos depois, a mãe de Roberto Gaston Castillo, seu sétimo filho, pediu que o general Jorge Rafael Videla fizesse as honras. Hoje, aos 33 anos, Castillo luta na Justiça para retirar o nome de Videla de seus registros. O motivo: seu pai, também Roberto, desapareceu durante o regime militar, alguns meses antes de seu nascimento. A estranha lei, segundo historiadores, surgiu da tradição de imigrantes europeus: o sétimo filho se tornaria um lobisomem a menos que recebesse a proteção do rei.

ECONOMIST

Democratas não estão animados com eleição

De acordo com pesquisa do instituto Gallup, apenas 28% dos democratas estão "entusiasmados" com a eleição de novembro, entre os republicanos são 59%. A diferença é tão grande que analistas já falam em um "fosso de entusiasmo", que pode ser decisivo para a derrota do partido de Barack Obama.

GUARDIAN

Ilha de Páscoa quer se separar do Chile

Leviante Araki, líder indígena da Ilha de Páscoa, quer romper os laços com o Chile - que tem soberania sobre o território desde 1888. Os separatistas da ilha acusam o governo de ter ocupado terras ancestrais e de não ter conseguido frear o fluxo de turistas. Eles querem fazer parte da Oceania, não da América.

SLATE

BP paga indenização a falsos pescadores

Por causa do vazamento de óleo no Golfo do México, a British Petroleum já pagou US$ 308 milhões a pescadores da região. Mas, segundo investigação da BBC, parte das indenizações foi paga a aproveitadores. Para receber o dinheiro, o pescador deve apresentar a licença de pesca do Estado da Louisiana. Mas em julho 2.200 licenças foram emitidas a mais do que o mesmo período do ano passado, um claro sinal de fraude.

SAÚDE PÚBLICA

1 milhão

é a estimativa de abortos clandestinos realizados por ano no Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.