Websfera, o melhor da internet

PC MAGAZINE

Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2010 | 00h00

Verbete digital ameaça dicionário Oxford

Mais de 80 especialistas trabalham na terceira edição do dicionário Oxford, considerado a mais completa referência da língua inglesa e publicada há 126 anos. No entanto, como mais usuários aderem ao Oxford na internet, a próxima edição do dicionário talvez não seja impressa. A versão online recebe mensalmente 2 milhões de consultas de assinantes, que pagam 240 libras por ano pelo serviço. Segundo Nigel Portwood, diretor da editora da Universidade de Oxford, possivelmente a próxima edição do dicionário será lançada somente na web. "As versões impressas de dicionários estão desaparecendo. A queda é de dezenas de porcentuais ao ano", disse Portwood.

LOS ANGELES TIMES

Mulheres podem perder espaço no Congresso

Embora muitos nos EUA considerem 2010 o "ano da mulher", pela primeira vez, desde 1978, o número de mulheres no Congresso pode cair. Elas ocupam hoje 90 cadeiras e poderiam ocupar 10, segundo pesquisas. Isso porque muitas candidatas republicanas foram derrotadas nas primárias.

DAILY TELEGRAPH

Tony Blair queria ficar no poder até 2008

No verão de 2006, o então premiê britânico, Tony Blair, visitou os EUA e surpreendeu aliados ao voltar com a intenção de ficar no cargo. Uma razão para permanecer até 2008 no posto seria a dificuldade do governo de George W. Bush em lidar com Gordon Brown, sucessor de Blair em 2007.

CNN

Tingir cachorros vira febre entre os chineses

A última palavra em moda para cachorro na China é tingir os animais para que pareçam um bicho diferente. Donos já usaram tinta para fazê-los ficar iguais a tigres, pandas ou "tartarugas ninjas". A febre fez mais pet shops oferecerem o serviço, mas veterinários alertam: a tinta pode ser prejudicial à saúde do bicho. Os defensores dizem que os cães são beneficiados porque, pintados, conseguem mais atenção.

Encontro com palestinos

BINYAMIN NETANYAHU

PRIMEIRO-MINISTRO DE ISRAEL

"Sei das dificuldades, mas acho que o acordo de paz é possível"

"Espero encontrar do outro lado um interlocutor tão corajoso quanto (Anwar) Sadat"

"Não apresentamos nenhuma proposta aos americanos sobre os assentamentos e não há nenhuma decisão sobre o tema"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.