Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2010 | 00h00

Empresas apostam em nova onda de "sem fio"

Empresas de tecnologia acreditam que uma aprovação da Comissão Federal de Comunicações dos EUA este mês dará início a uma revolução na área da comunicação móvel. Um tipo de Wi-Fi com maior alcance, que levaria a uma nova geração de aparelhos, depende da abertura de novos espectros. A comissão votou há dois anos a favor da liberação dos chamados espaços brancos - para conexões de banda larga -, mas houve medo de interferência em canais de televisão. A decisão interessa às maiores companhias, como Google, Microsoft e Dell. Na primeira vez que a comissão liberou licença semelhante, a indústria respondeu com a leva de telefones sem fio, controles remotos de garagem e de televisão.

ABC NEWS

Porto Príncipe tirou 2% do entulho em 9 meses

Nove meses depois do terremoto que matou 250 mil pessoas em Porto Príncipe, 98% do entulho segue na cidade, cenário parecido ao visto um mês após o tremor. A principal dificuldade, com os US$ 98 milhões doados pelos EUA para a tarefa, é remover o material usando as estradas irregulares do país.

THE WASHINGTON POST

Pobreza nos EUA bate recorde

A pobreza nos EUA deve atingir 45 milhões de pessoas, 1 em cada 7 americanos - aumento de 13,2% para 15% da população -, a maior taxa desde 1959. Negros e latinos são a maioria dos 170 mil sem-teto. Em 2008, era considerada pobre nos EUA uma família de quatro pessoas com renda anual de US$ 22 mil.

EL PAÍS

Diminuição de abortos, ligada à de imigrantes

O número de abortos na Espanha não caía há 25 anos, desde que a interrupção espontânea da gravidez foi legalizada. Em 2009, foram 112 mil, cerca de 4 mil a menos que em 2008. Clínicas credenciadas, que realizam 98% dos abortos, já haviam notado a queda. A redução na imigração - 43% dos abortos não eram feitos por espanholas - e a venda livre da pílula do dia seguinte são as causas principais da diminuição.

CHILENAS

3 mil

chilenos marcharam sábado em Santiago em razão dos 37 anos do golpe de

Augusto Pinochet

50

defensores do golpe agrediram o grupo. O país celebra 200 anos de independência dia 18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.